[Voltar]

Dificuldades e Tribulações

Vivemos tempos difíceis e conturbados.
Bem diferente daqueles de 100, 50, 30 anos atrás, onde vários que tinham a missão de alertar, diziam que estava próximo o tempo do fim.
E estamos neste tempo.
Por onde se olhe, se vê que foi embora os valores morais, éticos e espirituais (claro, sempre tem muitos que as conservam).
Se dá a inversão de valores, que agora o certo é errado e o errado é o certo.
Muda as eras e épocas, mas tem valores eternos, que são os que pertencem a consciência.
Hoje nos rege os valores dos eus, e com eles sucumbem a nossa consciência nos mundos infernais.
Temos a oportunidade de ainda nesta existência, avançar muito no trabalho esotérico.
E lamentavelmente perdemos grandes chances deste avanço, quando ainda não temos como prioridade o trabalho esotérico interno.
Quando ainda a prioridade é a conquista do carro do ano, terras, diplomas, festas...
Vemos que uma pessoa neste estado de consciência mesmo tendo as chaves da auto-revolução nas mãos, as joga fora, em prol de coisas do tempo.
Ou seja, faz os desejos dos eus.
Qual o objetivo de nossa vida? nascer, crescer, se reproduzir e morrer? Não claro, que não, temos um objetivo grandioso e certeiro, que é o retorno ao nosso Ser.
Infelizmente, se a pessoa não faz o trabalho psicológico, em cada existência os dramas, comédias e tragédias, vão se repetindo em oitavas inferiores.
Nós, agora desta época temos algo interessante que vamos todos viver, que é assistir e naturalmente vamos sentir as dores do planeta.
Que é o final desta raça.
E esta cada dia mais difícil todas as atividades, sejam elas físicas ou mesmo esotéricas.
Mas não podemos usar isso como desculpa e mesmo canção psicológica.
Temos que lutar, mas lutar como diz o VM, como se estando numa guerra. Inspirar profundamente (mesmo vendo a frente milhares de eus), e enfrentá-los como se fosse nosso último instante de vida.
Aquele que ainda tem como meta de vida, as coisas temporais, infelizmente se perdeu, é mais um, que mesmo no abismo, poderia ter a misericórdia dos céus, não a terá.
Aquele que tem como meta de vida a auto-realização, estará em boas mãos. Pois as oportunidades de se voltar ao Ser interno, são várias.
É que não somos profundos nas reflexões... se ponha por um instante vendo as coisas de cima para baixo (um VMestre), observando que uma pessoa tem as chaves da auto-realização nesta vida e essa pessoa as troca por carros, terras, diplomas, dinheiro...
Veremos que tão sem propósito e sem objetivo é nossa atual vida. Trocamos os céus, por moedas.
Conforme se vai liberando graus de consciência, passaremos a ver as coisas sob a ótica do interno para o externo.
Se observará vivamente a ilusão que nos remete os eus.
E até atravessar certas provações, a pessoa fica num meio termo, lá e cá, e aqui é lá.
Pois tem que romper e ou pagar muitos laços kármicos.
Depois se estará com um firme centro de gravidade nas atividades da consciência.
Aqueles que se dão por perdidos e ou desanimados, pelas mais variadas dificuldades de tribulações, dizemos que não arredem um centímetro dos trabalhos internos que se propuseram, porque se está na prova...
Dificuldades e tribulações são os meios onde os graus de consciência se cristalizam em nós.
Porém, se justificamos, brigamos, deixamos para depois e tantas outras coisas, se perde a prova...

22/mar/2014

[Voltar]