[Voltar]

Qual a Minha Missão?

Num efetivo trabalho psicológico sobre si mesmo, certamente nos chegará os momentos das comprovações.
Cada um de acordo com seus níveis de avanço, vai vendo e comprovando as realidades daquilo que é o caminho de retorno ao Ser.
E justamente, de acordo com o nível das conquistas na liberação e uso das faculdades da consciência, que percebemos e recebemos as mais variadas missões.
Seja do Ser interno, seja da Loja Branca e dos Veneráveis Mestres.
Missões, são serviços que nos propõem as hierarquias, para que vamos atuando, exercitando e aprendendo a trabalhar com as nossas faculdades.
Repetimos, cada um de acordo com seu nível de avanço.
O que para um poder fácil, para um outro companheiro, lhe custa um esforço enorme.
Então não podemos usar como medida aquilo que fazemos e tampouco o que outros também fazem.
Numa missão podemos ter que aprender a obedecer, mesmo tendo e exercendo uma autoridade espiritual maior daquele ao qual estamos submetidos.
Noutra missão temos que aprender o sábio discernimento de comando, divisão e elaboração de tarefas e deveres.
Mesmo num outro exemplo, temos que passar por cima de vários lamentos daqueles que nos cercam, e saber obedecer a ordem dada internamente.
Essas missões se acercam quando damos as notas em certas etapas do trabalho.
Aquele que vai de acordo com o que pensa e guia os orientadores apenas no mundo físico, infelizmente são seguidores de homens...
Aquele que alinha o mundo físico com os ordenamentos recebidos nos mundos internos, esta cumprindo a sua missão.
Uma missão pode durar horas, uma noite, uma conversa, uma decisão final, uma semana, um mês, um ano, vários anos...
Lamentavelmente, como estamos a grande maioria identificados com as com os afazeres do dia a dia, e não temos uma disciplina voltada ao trabalho espiritual, quando recebemos internamente as missões que a nós compete, não as percebemos e se sentimos algo, logo se passa despercebido, pelo no embrutecido estado psicológico.
É fundamental se estar com a atenção (mas não forçar) na parte interna.
Quando nos é dado uma determinada missão se prova até onde temos cristalizado os graus de consciência.
Exemplificando, temos por missão acender a luz (luz elétrica mesmo), de uma agremiação...é nossa missão, faça sol, chuva, neve...não importa a dificuldade.
Temos ai, nos vendo as hierarquias, como esta, nossa noção de responsabilidade (se abandonamos ou não o trabalho), força de vontade e o amor ao trabalho.
Se não trouxermos a percepção que missão nos cabe, e aceitamos para fazer bonito perante os demais. O resultado é nulo.
Pois quem assumiu o compromisso foi um eu/defeito.
Agora, outros tem missões de maior vulto, maior responsabilidade... e quanta inveja gera isso naqueles que estão nos joguetes dos eus/defeitos dentro de uma instituição.
Aqueles que tem percepção, são e serão os pontos de apoio daqueles que carregam missões de grande responsabilidade.
Então tem haver a reflexão sincera antes de julgarmos, detonarmos, sacrificarmos, aquele que tem a função de ligar uma luz na instituição...
E mesmo, ficarmos endeusando um ou outro que fala bonito ou tem um "cargo" dentro da instituição.
Temos que dar a derrota aos nossos eus/defeitos.
Estar práticos nos exercícios esotéricos. Que não tarda em chegar a missão de cada um.
Pode se sentir que é "aquilo" que temos de fazer...
Pode se receber de lábios a ouvidos nos mundos internos...
E naturalmente, não se vai tagarelar aos ventos...olha pessoal a minha missão é essa e tal e etc.
Já diziam, o silêncio é a eloquência da sabedoria.
Devemos guardar o devido silêncio, e com esmero e tato, ir executando aquilo que nos cabe.
Importante, importantíssimo, temos que diferenciar o que é um devaneio do eu, desejos, inveja com uma missão ditada pelo Ser Interno.
Legal, tenho uma missão, então é tudo flores? NÃO.
Enfatizamos novamente, de acordo com os níveis de cada um que recebemos as provações.
Se um recebe uma missão de prover financeiramente uma instituição, é certeiro, que as provações vão se dar para esta pessoa, na sua parte financeira.
De uma jeito ou outro, lhe vai aparecer situações de onde, será averiguado até onde se esta disposto a ir para cumprir a missão.
Claro, se a pessoa sabe que esta numa missão, será mais "fácil" transpor as forças do lado contrário.
Diferente de um que vê "naquela" responsabilidade, que não sabe de onde veio, e não vê a hora de entregar o peso a outro.
A esses, lamentamos, pois tiveram uma missão nas mãos, e por falta de percepção, seja interna ou externa, não levou a execução o que lhe foi designado.
Nestes momentos, muitos estão sendo chamados a assumir missões.
Alguns trazem as recordações dos mundos internos.
Outros intuem.
A esses que pedimos, não abandonem ou deem para outros (podemos estar sobrecarregando alguns) aquilo que lhes cabe.
Aos que bravamente, aguentaram e estão aguentando as suas missões, não esmoreçam, pois se esta trabalho da Loja Branca.
Que melhor serviço podemos pedir?

28/abr/2014

[Voltar]