[Voltar]

Paz e Harmonia

Muitos sabem e por vários motivos, acabam esquecendo o real motivo que resulta a busca da paz e harmonia.
Aos alheios ao conhecimento, buscam dia e noite o resultado da paz e harmonia em coisas que com o tempo se perdem, e muito além de também verem isso como conquistas materiais, intentam buscar e impor num sexo oposto isso que outra pessoa não vai nos dar nunca.

Aqueles que conhecem a didática inicial e intelectual do ensinamento, até no inicio entram nas fileiras da revolução com boas e verdadeiras intenções.
Sabem que a paz e harmonia, não há temos e nem se vislumbra a miníma chance disto acontecer enquanto formos comandados por nossa legião.

A grande maioria quando percebe a dura realidade daquilo que é ir contra si mesmo, ficam assustados, e fogem dos trabalhos psicológicos e se escondem atrás das desculpas e evasivas que bem conhecemos.
Infelizmente vemos com passar dos tempos que se tornam mas uma massa de manobra dos vários mandatários da loja negra, que buscam levar a derroca os sinceros revolucionários.

E nisto ficam estancados, envolvidos, nos mais "importantes" cargos dentro de uma instituição, sendo eles o motivo de provações para os demais.
E os submetidos as provações, também, ficam aviltando os meios para derrubar o cruel mandatário ou mandatários.

Agora, a verdadeira luta, que é a interna, dos parcos percentuais de consciência que temos contra a altíssima atividade dos nossos eus, acabam sendo esquecidos e quando se recordam, justificam, e justificam com tão esplendorosas desculpas, que quando ouvimos certas coisas, temos que ficar calados.
Pois não conseguimos alcançar contrapor com palavras a dominância de tal agregado.

Se enganam que essa paz e harmonia, se vai dar do dia para a noite, e que todos a nossa volta vão nos tratar dignamente, que não vai haver brigas aonde estivermos, que não vai haver entreveros em nossas atividades.
Que erros cometemos quando assim pensamos.

Aqueles que sabem, recordem o trabalho do Cristo em nosso interior...

Enquanto não acontecer a limpeza do nosso estábulo interior, não vai haver paz e harmonia.

Quantas vemos as formosas posses que muitos assumem, que querem demonstrar que com eles não existe essas coisas de brigas, desarmonias...
Ignoram que, quem esta na luta com as debilidades, se verá e estará envolto nas mais variadas situações, de onde tem que sacar as porcentagens de consciência que estão depositadas nestas atividades dos eus e que causam as recorrências.

Me digam, como vamos conquistar se já entendemos que somos donos daquilo que lemos nos livros, onde os VMs relatam as conquistas dos estados de plenitude e harmonia.
Por mais que o ego diga, concordando com todos, nas rodas de conversas, que sim, o nosso estado é tal como descreve os VMs, mas nas profundezas dos nossos níveis, temos a plena convicção de somos diferentes dos demais, que o que passamos é porque temos tal ou qual transcendência.
Justificamos descaradamente e temos a dormência que somos diferentes.

Se coloque um a enfrentar as suas debilidades, e verá que nos cai os demais de pauladas a nos abater.
Amigos, pai, irmãos, vizinhos, desconhecidos...todos eles tem motivos para nos cercar.
Repetindo, quando o aspirante, vê a crua realidade do que é ir contra a legião, se assusta, e por fim, corre.

A paz e a harmonia, se vai cristalizando conforme caminhamos.

Quão doce é de se ver, sentir e atuar, quando após duras lutas, percebemos que a plena manifestação das recorrências vencidas e eus ligados a tal ou qual situação, não tem mais lugar...somente advêm a paz e harmonia...

Entendamos que a paz e harmonia de alguém com 2% de consciência é bem diferente de um outro com 40% de consciência.

Há mais isso é impossível, nesta nossa época de vida diária que é muito corrida e etc etc etc... É assim que os derrotados e justificadores atuam.
Além de muitas vezes tirarem os impulsos dos incautos, ficam emanando as suas terríveis vibrações de inveja e desarmonia.

Jamais podemos, apontar que tal pessoa esta em tal ou qual situação e nível.
Temos que saber do nosso interior... que tenho de sobra, o que me faz falta e por ai em diante.

Aqueles que poem aquilo que entendemos de paz e harmonia em pessoas e situações externas, ainda lhes falta compreender certar partes intelectuais do ensinamento.
E aqueles que mesmo compreendendo, e ainda estão parados e lentos, que tomem atenção ao que realmente nos traz ao ensinamento.

09/jun/2014

[Voltar]