[Voltar]

Fracassos

Para aqueles que nestes momento se lamentam e sofrem pelos mais diversos fracassos nos trabalhos sobre si mesmo, dizemos que não esmoreçam, que não se deixem levar pelos sucessos momentâneos da legião.

Lamentamos, pois neste ou naquele fracasso, se prolongou as manifestações dos eus e vai gerar novamente várias e várias situações onde os eus necessitam para se alimentarem.
Porém, temos ai a chance de ter o aprendizado, com o fracasso, portanto tem que ser mais vigoroso o entendimento das atuações que nos levaram a perder aos eus.

Sofremos, no arrependimento de mesmo após duras lutas, vemos que ainda se manifesta tal entidade e nos priva de ter mais consciência.
Aquilo que temos de consciência livre nos cobra, no dia a dia, onde nos deixamos levar por esse ou aquele eu.

Cada um tem que ter a sua didática de trabalho, sua disciplina.

Tem alguns que entendem que devemos deixar correr e que na hora certa vai se manifestar a consciência.
Outros, se colocam numa disciplina de exercícios espirituais tão mirabolantes que no final das contas não fazem nenhum.

Entendemos que temos quer ter a simplicidade da objetividade.

Temos que morrer psicologicamente, pois então morremos...nas atividades diárias temos a morte em marcha...dali tiramos muito material que se necessita para o aprofundamento do trabalho.
Temos que ter um horário seja ele durante o dia, a noite, na madrugada ou no amanhecer, onde devemos nos entregar ao Ser e antes os depois sem piedade aprofundar nas mais variadas facetas que descobrimos das manifestações dos eus.

Temos que nascer, pois aqueles que tem a oportunidade de assim trabalhar que trabalhe...nisto quantos conflitos se criaram e se cria em algo tão simples.
Mas que devido ao nosso elevado grau de degeneração, é esta a nossa pedra de tropeço.
Somente após muita limpeza nas cavernas interiores que se começa a adentrar nos mistérios da alquimia.

Temos que praticar o sacrifício, pois então pratiquemos o sacrificio... é uma tremenda realidade, recebemos na mesma proporção que nos entregamos aos demais.
Podemos até fazer planos disto e daquilo, mas se não vem de um ato de consciência (amor), se perde o labor.
Quantas vezes vale mais uma atuação da consciência no momento certo, na hora certa, do que aquela tremenda quantia financeira.

Aqueles que já estão definidos nos objetivos, sabem que necessita de muita coragem e persistência neste caminho.
Aos que já pisam no caminho, não se esqueçam que as provas não se aplicam somente uma vez, e sim muitas e muitas vezes.
Mesmo o fracasso é uma prova.
Pois num momento de dor moral, vemos e ou saberemos se estamos atuando com luz da consciência ou com o martelo do eu.

20/jul/2014

[Voltar]