[Voltar]

Tudo Passa

Seja bom ou ruim, alegria ou dor, tudo, mas tudo, no seu devido tempo passa, acaba, se finda.

Na vida comum e corrente, naquele que ainda não se definiu nas provações, estes momentos de dor ou alegria, até se agiganta pela identificação nas situações que se gerou.

Naquele que esta nas provações menores ou maiores, tomam um peso bem diferenciado do viver horizontal.
E estes pesos são de acordo com os karmas à pagar.
Temos karmas, que se findam somente com o tempo, ou seja, não tem remédio, tem que se pagar.
Karma é dor, sofrimento...
Então muitas vezes vemos que certos elementos egóicos não findam as suas manifestações, mesmo após anos de trabalhos psicológicos.
Temos que nos resignar, e aguardar, aguardar e aguardar.
A paciência nos serve de alento nestas horas.
Mas isso não significa não dar combate a esses elementos, se deve sim, a todo instante, nas suas facetas que se manifestam, exercer a morte.

Reflexionamos sobre isso, pois quantos estudantes, nestas horas, se encontram com desânimo e desistência batendo em suas portas.
E quantos que não se foram, e ficaram a mercê e ditames de suas legiões e muito pior, sob a tutela de algum regente da loja negra.
Nisto se dá esses que por ai abundam, fazendo diabruras com o corpo da doutrina, a pervertendo completamente.

Nos cabe relembrar que a dor e sofrimento, as expressa os eus.
A dor daquele eu que foi ofendido, magoado, pisado, humilhado, caluniado, traído...
O sofrimento como consequência de ficar nas esferas do pensamento,sentimento e ação, o contínuo martelar das razões por aquele eventos terem ocorridos.

Quando vemos as situações, tanto faz se de alegria ou dor, sem a identificação, já ganhamos boa parte daquela batalha.
Recordando que identificação, é quando nos esquecemos de nós mesmos, e passamos a ser aquele objeto, momento ao qual estamos vivendo.

Muitos dizem, e se não o dizem, pensam que é muito fácil falar...
Mas nisto, que rebatemos, a revolução sobre si mesmo, não é para todos, mesmo que a todos se tem espargir as práticas do ensinamento.
Bem sabemos, que os fracos, quando se deparam com primeiras provações, não suportam olhar a si mesmos, de ver como estão e se vão.
Bem sabemos, que somente alguns valentes, que mesmo após, existências inteiras, pagando pelos seus erros, chega ou chegará um momento em que isso passou, e enfim
podem retornar ao caminho.

Vivemos atualmente épocas de muitas dificuldades, por todos os lados, as emanações são para o mais completo adormecimento da consciência, e portanto para o
robustecimento dos eus.
Aquele que mesmo nestas tremendas dificuldades, superam as suas debilidades, chegam mais fortemente e rapidamente ao Ser.

E estas épocas de insanidades também vai passar, vai findar.
Então, os que ainda perduram nos trabalhos para avançar, não devem se deixar levar por essas terríveis vibrações do materialismo.

Não vamos aqui dar exemplos e exemplos das dores e sofrimentos, que prendem as psicologias das pessoas, e que as levam a entender que o que elas vivem nunca vai
passar ou findar.
Pois podemos em alguns fracos de intenção, criar situações e levantes que de nada tem haver com a revolução da consciência.

Enfatizamos, seja praticante ou não dos preceitos gnósticos, que tudo passa, no seu devido tempo...

O que nos livra de ser tragado nestas situações é paciência e não identificação.

03/ago/2014

[Voltar]