[Voltar]

Alucinógenos e Outros

Cada um responde por si, perante ao seu Ser interno e a Lei Divina.

Agora, pesa mais, muito mais, quando por nossa influência ou exemplo, desvinculamos essências das corretas vivências do ensinamento.
Seja com boa ou má intenção.
E duramente naqueles que o fazem com conhecimento das consequências das suas ações.

Além de responder por nossos atos, nos virá a sobrecarga das ações nefastas, que por nós outros se distanciaram do seu Ser.

Enfatizamos, reforçamos e orientamos, que ao sincero praticante dos ensinamentos gnósticos, não pode se utilizar de elementos externos a sua própria capacidade de
vontade.

Não devemos fazer, tomar receituários, álcool, chás e ou qualquer tipo de droga.

Quando o fazemos, alteramos os estados da energia sexual e consciência.

E nos ligamos diretamente com os círculos dantescos dos quais esses eus moram e serão terrivelmente avivados.
Tanto é que, de imediato fica escravo destes eus, e dificilmente consegue se desvincular.

Sabemos que a muitos, isso de agora nestes tempos de finalizações, dizem ser normal e até correto usar meios externos para atingir estados de consciência.
E pior, dizem ser praticantes dos 3 fatores.
E certamente vamos receber muitas emanações negativas destes ajudantes do sendeiro esquerdo.

As trevas se combate com a Luz.
Aos incautos, de vez, ouçam a voz de suas consciências, não caiam nestas bonitas explicações de que são meios e formas de chegar rapidamente ao Ser.
Ou que, porque estamos com tantos defeitos, que precisamos de outras ajudas e etc, etc etc.
Ao delito se arruma mil e uma justificativas.

As alucinações são tantas, que o experimentador destes meios externos, dizem e se sentem, próximos aos Mestres, exercem poderes e outras tantas coisas.

Grave e mais grave, dizem e atestam que morrem em suas psicologias.
Se de verdade estivessem a morrer, concretamente dariam conta dos atos graves que estão realizando.

O verdadeiro praticante de gnosticismo, não usa estes meios externos em suas atividades espirituais.

O Verdadeiro praticante de gnosticismo não usa a base do ensinamento com o conhecimento intelectual, para perverter as práticas e arrastar consigo os incautos.

O Verdadeiro praticante de gnosticismo não é médium e ou canalizador.

O retorno ao Ser, se dá com nossa própria força de vontade em vencer as debilidades.

A muitos vai doer essas afirmações, mas cada um livre para expressar o que pensa e faz, mas a colheita é obrigatória.

Afirmamos que não se deve misturar a base da doutrina gnóstica com as convenções dos nossos desejos e convicções mentais.

A base é os 3 fatores.

O que se acrescenta ou retira, se perverte o ensinamento.
Ainda mais da forma como tem hoje em dia, quando tristemente vemos as designações que dão as suas alucinações...

Que sejam loucos, e o sejam somente em suas psiques, não o façam com o certeiro objetivo de arrastar os incautos.

03/ago/2014

[Voltar]