[Voltar]

Em Paz Com a Consciência

Atingimos e ou experimentamos esses estados de percepção, quando atuamos de acordo com as Vontades do Ser.

Impossível de se experimentar tais estados e manifestações de amplitude espiritual satisfazendo os desejos dos defeitos psicológicos.

Quem de nós hoje, até mesmo num exame superficial de vivências podemos dizer que percebemos a Paz com a Consciência.

É difícil para qualquer estudante do ensinamento, explicar com palavras as percepções dos estados de consciência.

Como traduzir para a linguagem falada aquilo que não é do mundo físico.

Vemos que somente a base da Inspiração, se traduz certos estados da consciência a nível de entendimento intelectual.

Nisto entendemos as dificuldades que tem os Veneráveis Mestres em nos dar os ensinamentos.

Enfatizamos que se passamos os dias, meses e anos, identificados com as ocorrências do mundo físico, e não praticamos a morte dos defeitos
psicológicos, é impossível viver o ensinamento e portanto não experimentamos as manifestações da consciência.

É algo parecido com aquele que faz a pose de bonzinho.
Ser uma boa pessoa para tal, é ter uma pose de bonzinho.
E não percebe que a bondade é transparente numa pessoa que a tem manifestando.
Ou seja, sem a pose e trejeitos de bonzinho.

A quantos também que nos condenam por maus e ruins, se não fazemos aquilo que eles entendem que é ser bonzinho.
Se vivemos de acordo com aquilo que os outros pensam de nós, certamente marchamos para o fracasso nas corretas atitudes.

Pois o que a nossa consciência nos dita, é contrário muitas e muitas vezes ao hipnotismo coletivo.

Claro, falamos em atos de consciência (morrer, nascer e o sacrifício), e não ao que nos dita os nossos eus de ira, vingança, medo, apego,
irritação, falsidade, ódio, mágoa, rancor, mentira, roubo e etc.

Através da constante prática nos 3fatores, é normal e natural a experimentação dos estados de Paz com a Consciência.

12/out/2014

[Voltar]